SEBRAE Inteligência Setorial

SEBRAE

Construção civil

Imagem de título do setor Construção civil
6 de maio de 2021

O futuro é agora: casas impressas em 3D começam a ser habitadas na Holanda

A casa em Eindhoven - a primeira de cinco dentro do ‘Projeto Milestone’ - cumpre totalmente com todos os rigorosos requisitos de construção do país.

Impressora 3d

Se há apenas alguns anos a impressão 3D era vista com uma certa desconfiança, várias notícias recentes têm mostrado que essa é uma tecnologia possível, viável e que veio para ficar. No dia 30 de abril de 2021 os inquilinos da primeira casa de concreto impressa na Holanda receberam suas chaves. A casa em Eindhoven - a primeira de cinco dentro do ‘Projeto Milestone’ - cumpre totalmente com todos os rigorosos requisitos de construção do país.

A construção térrea possui 94 metros quadrados de área útil, incluindo sala de estar e dois dormitórios. Possui o formato de uma grande rocha, que se encaixa bem com o local natural e demonstra bem a liberdade de forma que é oferecida pela impressão 3D de concreto. Graças ao isolamento extra espesso e uma conexão à rede de aquecimento, a casa é altamente confortável e eficiente em termos energéticos, com um coeficiente de desempenho energético de 0,25. Segundo a equipe, foi especialmente desafiador imprimir as paredes inclinadas, mas o aprendizado no protótipo serviu para dominar a técnica nas próximas 4 edificações previstas. O concreto é o material de construção mais usado no mundo há décadas e todos nós estamos familiarizados com ele, sabemos como é e onde é usado. Tradicionalmente, derramamos concreto em fôrmas de madeira ou metálicas, e acabamos utilizando muito mais do que o necessário construtivamente. Está sendo usado mais, o que é ruim para a emissão de CO2 na atmosfera e o agravamento do efeito estufa. Uma das grandes vantagens é que a impressora de concreto tem a capacidade de colocar concreto apenas onde for necessário construtivamente, sem sobrecargas às fundações e sem o desperdício de materiais.

Em princípio, as casas impressas podem ser construídas com muito mais rapidez, com mais flexibilidade e designs personalizados. A ambição dos parceiros do Projeto Milestone é que a impressão 3D de concreto se torne um método de construção sustentável que contribua para resolver o déficit habitacional. Segundo Theo Salet, Professor de Estruturas em Concreto da Eindhoven University of Technology: “Com este pequeno edifício, um primeiro grande passo foi dado hoje no desenvolvimento da construção em uma indústria de manufatura de alta qualidade. Do projeto à implementação, a digitalização leva a residências sustentáveis e acessíveis, feitas sob medida para os desejos do ocupante”.

As cinco casas do Projeto Milestone estão sendo construídas uma após a outra para que cada nova rodada de construção possa maximizar as oportunidades de aprendizado com as anteriores. Em breve, os parceiros do projeto começarão a trabalhar no projeto das próximas edificações, que terão vários pavimentos e, portanto, requerem maior desenvolvimento da técnica. A casa consiste em 24 elementos de concreto impressos que foram impressos camada por camada em uma fábrica em Eindhoven. Os elementos foram, então, transportados por caminhão até o canteiro de obras e colocados sobre uma fundação. A casa foi então dotada de telhado e caixilharia, sendo aplicados os acabamentos.

Pieter Knauff, Diretor de Investimentos da Vesteda completa que “A liberdade de formas da impressão em concreto 3D cria um novo escopo enorme de possibilidades projetuais e na experiência de uma casa. Ao mesmo tempo, esta nova técnica contribui para a sustentabilidade exigida na indústria da construção, a aceleração da produção de edifícios e o controlo dos custos de construção, tão necessários para a continuação da construção de habitações a preços acessíveis.”

Fonte:
Arch Daily
Autor:
Eduardo Souza
Publicado em:
4 de maio de 2021

Você também vai gostar de ler