SEBRAE Inteligência Setorial

SEBRAE

Petróleo e Gás

Imagem de título do setor Petróleo e Gás
14 de outubro de 2021

BP financia a construção da primeira usina de aço movida a energia solar do mundo que contará com 750.000 painéis solares

A primeira usina de aço movida a energia solar será operada pela empresa russa Evraz Plc; e conta com milhares de painéis solares para o seu funcionamento

Painel solar

Uma usina siderúrgica em Pueblo operada pela fabricante russa Evraz Plc, que derrete e reaproveita sucata, será composta por mais de 700 mil painéis solares. O empreendimento entrará em operação em novembro deste ano e será capaz de abastecer toda a energia necessária para o funcionamento da usina. A usina de aço movida a energia solar é a primeira ao redor do mundo.

Redução das emissões de carbono e usina siderúrgica movida a energia solar

A instalação da primeira usina movida a energia solar do mundo surge no momento em que algumas das maiores siderúrgicas dos EUA decide levar a sério as emissões e estabelece metas, para se tornar neutra em carbono, até 2050.

A siderurgia continua sendo uma das indústrias mais poluentes do mundo, sendo responsável por cerca de 6% das emissões globais de dióxido de carbono. Especialistas afirmam que mudar para energia renovável será a chave para reduzir as emissões.

750 mil painéis solares

A joint venture permitirá a construção da primeira usina fotovoltaica equipada com 750.000 painéis solares, capaz de fornecer eletricidade para a siderúrgica russa Evraz, com sede na cidade de Pueblo.

Com o comissionamento, a unidade da Evraz – que transforma sucata reciclada em aço puro, especialmente destinada ao setor ferroviário – se tornará a primeira siderúrgica da América do Norte a utilizar energia solar como fonte de abastecimento elétrico primário. O projeto também deve ajudar o Colorado a atingir sua meta de 100% de energia renovável até 2040.

“Este projeto prova que mesmo setores difíceis de abater, como o aço, podem ser descarbonizados quando as empresas vêm junto com soluções inovadoras”, disse Kevin Smith, CEO da Lightsource BP, Américas.
A Lightsource bp, subsidiária de energia solar fotovoltaica da BP, anunciou na quarta-feira (13) o comissionamento de seu projeto – Bighorn Solar, localizado no Colorado.

Maior usina solar do Brasil

A usina solar Pirapora é considerada a maior usina de energia solar no Brasil e em toda América Latina. Construída em Pirapora, município de Minas Gerais, a usina funciona desde 2017 e é de propriedade da empresa francesa EDF Energies Nouvelles (EDF EN), em sociedade com a empresa Omega Geração (no início, a sociedade era com a fabricante de painéis solares Canadian Solar, que, em 2018, vendeu sua participação para a Omega Geração). E a usina é, realmente, grande: ocupa o equivalente a 1.500 campos de futebol, sendo formada por um conjunto de 11 usinas, resultando em um verdadeiro complexo solar com capacidade total de geração de 400 MW (megawatts).

Com essa quantia, é possível gerar energia solar a 420 mil casas populares. A usina solar Pirapora foi construída em uma área próxima ao rio São Francisco, a um custo que girou em torno de R$ 2 bilhões.

Maior usina solar do Brasil

A usina solar Pirapora é considerada a maior usina de energia solar no Brasil e em toda América Latina. Construída em Pirapora, município de Minas Gerais, a usina funciona desde 2017 e é de propriedade da empresa francesa EDF Energies Nouvelles (EDF EN), em sociedade com a empresa Omega Geração (no início, a sociedade era com a fabricante de painéis solares Canadian Solar, que, em 2018, vendeu sua participação para a Omega Geração). E a usina é, realmente, grande: ocupa o equivalente a 1.500 campos de futebol, sendo formada por um conjunto de 11 usinas, resultando em um verdadeiro complexo solar com capacidade total de geração de 400 MW (megawatts).

Com essa quantia, é possível gerar energia solar a 420 mil casas populares. A usina solar Pirapora foi construída em uma área próxima ao rio São Francisco, a um custo que girou em torno de R$ 2 bilhões.

Durante a primeira fase de implantação, o projeto empregou mais de 300 trabalhadores da região. A estimativa é que projetos semelhantes ao da Joint venture da BP também chegue ao Brasil em breve e transforme a indústria siderúrgica.

Fonte:
Click Petróleo e Gás
Autor:
Valdemar Medeiros
Publicado em:
14 de outubro de 2021

Você também vai gostar de ler