SEBRAE Inteligência Setorial

SEBRAE

Moda

Imagem de título do setor Moda
30 de abril de 2019

Blockchain no Varejo: vantagens de utilizar esse recurso no seu empreendimento

Talvez você nunca tenha ouvido falar em “Blockchain" (“corrente de blocos”, na tradução literal), mas é atualmente a base de muitas transações realizadas na internet. Em suma: Seu principal benefício é permitir a segurança dos processos de transferências de bens, físicos e digitais, entre partes sem a necessidade da mediação de terceiros.

Blockchain no Varejo: vantagens de utilizar esse recurso no seu empreendimento

Blockchain assemelhada a um livro-razão, trata-se de uma tecnologia de registro distribuído e compartilhado, também denominada de "Tecnologia de Contabilidade Distribuída"(DLT).

Seu principal benefício é permitir a segurança dos processos de transferências de bens, físicos e digitais, entre partes sem a necessidade da mediação de terceiros; cada registro é validado pelos blocos/computadores distribuídos na internet, numa espécie de assinatura de autenticação.

A imutabilidade e a rastreabilidade são duas de suas propriedades, além da segurança, da privacidade e da transparência. O Blockchain gerencia a transferência da propriedade do bem por meio de sua identificação, e certifica a identidade do vendedor e do comprador.

Inicialmente associado à criptomoedas (p.ex. Bitcoin), o Blockchain gradativamente dissemina-se pela economia. Os grandes bancos desenvolveram seus próprios sistemas de Blockchain, como as redes interbancárias de informações, agilizando o compartilhamento com outros bancos de transações envolvendo pagamentos móveis ou transferências de valores internacionais; a tecnologia reduz custos e agiliza os processos ao eliminar a necessidade de confirmação dos dados pelo emissor e beneficiário.

A título de ilustração, no último dia 12 de abril de 2019, o Banco Santander lançou no Brasil seu serviço de transferência internacional via Blockchain para pessoa física, encurtando o prazo de dois dias, no modelo tradicional, para duas horas (inicialmente restrito ao segmento de clientes Select, no limite de 3 mil dólares por transação).

Veja como funciona (passo-a-passo):

A deseja enviar dinheiro para B - a transação é representada como um “bloco”; o bloco é transmitido para todas as partes da internet - os usuários/computadores conectados na rede aprovam; a transação é validada - o bloco, então, é adicionado à cadeia, que fornece um registro de transação indelével e transparente; por fim, o dinheiro é transferido de A para B.

Blockchain e o setor de logística

O setor de logística - repleto de ineficiências e com grande número de participantes e grande quantidade de dados -, está igualmente adotando o Blockchain como solução eficiente; estima-se um crescimento de 49% ao ano até 2024 na gestão de cadeia de suprimentos (Fonte: Zion Market Research). Em 2017, um grupo de executivos formou a "Blockchain na Aliança de Transporte” (BiTA), com sede nos EUA, fórum para a criação de padrões e educação, atualmente com mais de 450 membros, incluindo UPS, FedEx, SAP, Google, Cisco e Daimler.

Blockchain no Varejo

Apesar dos avanços, constata-se que muitas empresas, particularmente as pequenas e médias, ainda desconhecem o funcionamento e benefícios do Blockchain.

A tecnologia é adequada ao varejo pela multiplicidade de participantes e dados envolvidos: parceiros, bancos, empresas de logística, contadores e auditorias, e inúmeros documentos tais como as Notas Fiscais associadas a cada ordem de compra; esse conjunto de informações, em geral, está duplicado nos registros dos parceiros.

A vantagem do Blockchain é permitir um único registro, eliminando as contradições e conflitos dos diversos registros. Resumindo, temos como atrativos:

(a) o compartilhamento da base de dados, informação única e acessível à todos os participantes, que não podem alterá-la (somente acrescentar informação/itens);

(b) a privacidade dos dados, acesso exclusivo aos participantes da rede (autorizados previamente, e criptografado);

(c) a obrigatoriedade de consenso, com a transação só se concretizando se todas as partes estiverem de acordo;

(d) os “contratos inteligentes” que podem ser rastreados em tempo real.

O uso do Blockchain simplifica os mecanismos de verificação de autenticidade dos participantes da cadeia de suprimentos (confere “certificado de autenticidade”), potencialmente origina um programa de fidelidade inteligente, melhora a experiência de compra com mais transparência, em suma, confere agilidade e segurança.

Blockchain no Brasil

No Brasil, as grandes cadeias de varejo estão, gradativamente, adotando a tecnologia de Blockchain.

Em 2018, o Carrefour Brasil, a IBM e a BRF criaram juntas o projeto “Food Tracking” com a finalidade de rastrear os produtos oferecendo ao consumidor transparência em todas as etapas (proveniência, especificações de matéria prima utilizada, etc.), simultaneamente, reduzindo os riscos de falsificação.

O foco é segurança alimentar, disponibilizando ao consumidor, via QR Code afixado na embalagem, informações sobre a origem dos alimentos. O projeto foi desenvolvido na “Garagem 11.57”, espaço de inovação da IBM (inaugurado em 2017) contemplando Internet das Coisas (IoT), computação em nuvem, computação cognitiva (Watson) e Blockchain.

Na XXI Conferência Nacional de Logística, realizada em março/2018, o Blockchain foi apresentado como solução simplificadora dos processos reduzindo significativamente o número de documentos (movimento conhecido como “paperless”). A plataforma de comércio eletrônico T-Mall, da varejista chinesa Alibaba, é uma referência mundial.

Tudo indica que em 2 a 3 anos, o Blockchain não será uma opção, mas uma tecnologia entremeada no setor de varejo.

Imagem: divulgação

Fonte:
Sebrae Inteligência Setorial
Autor:
Dora Kaufman
Publicado em:
30 de abril de 2019

Você também vai gostar de ler