SEBRAE Inteligência Setorial

SEBRAE

Petróleo e Gás

Imagem de título do setor Petróleo e Gás
9 de setembro de 2021

Abrace anuncia experiência “Tinder” para compra de gás natural

A organização destaca plataforma que aproxima proponentes e consumidores para o mercado

Abrace anuncia experiência “Tinder” para compra de gás natural

Está para nascer uma nova revolução no setor de gás natural. Isso porque Associação Brasileira de Grandes Consumidores de Energia (Abrace) anunciou que vai acelerar a abertura do mercado de gás natural por aqui por meio de uma ferramenta bastante peculiar, com o objetivo de aproximar proponentes a consumidores. É uma nova experiência de mercado.

“É quase como um Tinder”, diz o presidente da Abrace, Paulo Pedrosa. A ideia, de acordo com ele, é promover encontros entre os vendedores e clientes a partir de uma plataforma semelhante ao aplicativo de relacionamentos, ou seja, colocá-los em contato para negociação. No entanto, a Abrace não atuará como comercializadora.

“A ideia é permitir que compradores e vendedores se aproximem para conversar. Vamos dizer quem quer gás, onde fica e de quanto precisa. E vamos deixar que alguém se apresente para oferecer”, destaca Pedrosa.

Experiência “Tinder” no gás, o que muda?

Hoje, as indústrias brasileiras têm uma demanda alta de gás natural no dia a dia, equivalente a 10% do consumo nacional médio. Os seis milhões de metros cúbicos diários são provindos de poucas empresas fornecedoras e, atualmente, esse mercado tem dado sinais de mudanças.

A ferramenta vem especificamente para trazer uma maior possibilidade de concorrência a demais empresas e deixar o mercado aberto para possíveis transformações, algo que já estava em tramitação no Congresso.

Assim, a plataforma também quer ter como objetivo a ampliação de gasodutos, variedade de preços e produtos, além de abrir um pouco o mercado para além das grandes distribuidoras. No Brasil, vários estados já praticam um contato mais direto com o consumidor, mas a compra dos botijões ainda está muito fixa às distribuidoras. Com o aplicativo, será mais fácil ter espaço para dar um “match”, caso se feche a parceria, ou para entrar em termos de negociação, algo bastante valioso em momentos de crise, que geraram a alta do gás natural.

A Abrace destaca que só poderão ofertar gás para a indústria de forma direta importadores de gás da Bolívia ou de outros países, comercializadores, as produtoras de petróleo de grande e pequeno porte e até transportadoras.

Com a crise hídrica, o preço do gás natural tem subido exponencialmente. A plataforma também está atenta a isso e promove um contato mais direto entre promotores e consumidores justamente para tentar equilibrar a balança.

Fonte:
Consumidor Moderno
Autor:
Por Luiza Vilela
Publicado em:
8 de setembro de 2021

Você também vai gostar de ler