SEBRAE Inteligência Setorial

SEBRAE

16 de junho de 2015

Setor de Alimentos é o novo beneficiado pelo programa Sebrae Inteligência Setorial

Publicações e ambiente na Internet oferecem informações estratégicas aos empresários

seguranca_alimentar

O setor de alimentos é o mais novo atendido pelo programa Sebrae Inteligência Setorial, que já oferece informações estratégicas para os setores de construção civil, moda, petróleo & gás e turismo. A partir de agora são beneficiados três segmentos da cadeia alimentícia: “Agroindústria e Bebidas Artesanais” (cachaça, laticínios, cervejas artesanais e cafés especiais); “Alimentação fora do lar” (bares e restaurantes, panificação e confeitaria); e “Produção, Abastecimento e Distribuição” (escoamento da produção).

O lançamento do programa com apresentação das publicações específicas e do ambiente no site aconteceu na terça-feira, 02 de junho, na sede do Sebrae/RJ, com a presença da diretoria do Sebrae/RJ, de empresários e instituições parceiras representantes de diferentes segmentos da cadeia de alimentos.

O diretor de desenvolvimento do Sebrae/RJ, Evandro Peçanha, destacou a importância de oferecer informações sobre o setor de alimentos: “Este é um dos sete setores prioritários no planejamento estratégico do Sebrae Rio de Janeiro. Toda a cadeia, desde a produção à distribuição, incluindo a alimentação fora do lar até o consumidor final, representa em torno de cinco a seis por cento da economia fluminense. Ofereceremos conteúdos estratégicos e de qualidade sobre legislação, tecnologia, gestão, política econômica, entre outros assuntos relevantes”.

Segundo Mariângela Rosseto, coordenadora do setor de alimentos do Sebrae/RJ, foi um grande desafio incluir o setor no programa, considerada a complexidade da cadeia. “Com a valiosa ajuda dos parceiros construímos o mapa de informações estratégicas e identificamos os temas pertinentes dentro de cada segmento. Os empresários, incluindo os que trabalham no campo, precisam ter uma visão estratégica do que acontece no mundo e no Rio. Os conteúdos do programa têm agradado muito aos empresários, que têm nos dado retornos muito positivos. Os temas também vão ajudar a pautar as ações internas do Sebrae”.

O evento também comemorou o primeiro ano do programa Sebrae Inteligência Setorial e seu crescimento. Já são mais de seis mil cadastros no portal, quase 200 mil acessos e cerca de dez mil downloads. Para Neri dos Santos, especialista em inteligência competitiva e consultor sênior da Knowtec, empresa responsável pelo sistema de monitoramento dos temas relevantes dos setores atendidos pelo programa, o empresário fluminense recebeu muito bem o programa. “Em um ano, desde que lançamos o portal, registramos o aumento da procura pelos conteúdos de inteligência ofertados no programa. Isso mostra que o empresário do Rio atendeu ao chamado do Sebrae e incorporou a inteligência ao seu negócio”.

Produtos de Inteligência - Os conteúdos de inteligência (relatórios de inteligência, boletins de tendência, noticias de impacto, mapas de informações estratégicas e cases de sucesso) sobre alimentos podem ser acessados gratuitamente pelo portal www.sebraeinteligenciasetorial.com.br. Já estão disponíveis para download os relatórios de inteligência “Pães congelados” e “Logística de transporte”, além dos boletins de tendência “Tendência em alimentos” e “Parceria inovadora entre produtores e consumidores”.

Orgânicos - O conceito de economia participativa que conecta produtores de orgânicos e consumidores é um exemplo real abordado no relatório de inteligência “Logística de transporte” sobre como aperfeiçoar o processo de distribuição. Inspirado no modelo Community Supported Agriculture (CSA), foi analisado o caso do Clube Orgânico, pioneiro no Rio de Janeiro, e que tem como proposta o financiamento do agricultor diretamente pelo consumidor, dispensando a atuação de atravessadores ou grandes centros de distribuição, que aumentam as chances de perdas da produção durante o transporte. “A cada dez alimentos produzidos seis são perdidos durante as etapas de distribuição. Com a entrega direta ao consumidor, reduzimos o desperdício durante o transporte para praticamente zero”, explica Eduardo Boorhem um dos sócios da empresa.

O Clube conta hoje com 120 associados que, além de uma matrícula de R$100, pagam mensalidade de R$ 250 para receber semanalmente em casa uma cesta com cerca de 15 itens, entre frutas, legumes e verduras, conforme a sazonalidade. O trajeto da colheita até a mesa do consumidor final leva aproximadamente 24horas. Segundo Eduardo, o clube tem capacidade de entregar, atualmente, uma tonelada de alimentos por semana. “Por enquanto contamos com apenas um produtor, mas a ideia é inserir outros e diversificar a cesta de alimentos que chega ao consumidor”.

No atual formato, segundo Eduardo, 50% do lucro são destinados ao produtor e 50% para a administração da plataforma de relacionamento com o cliente e na logística de entrega domiciliar da produção.

Publicidade